O Brasil é realmente um país injusto. Não só pela má distribuição de renda ou pelo abismo social, mas também pelo péssimo e injusto sistema de justiça. Uma justiça que é uma caixa preta trancafiada e cheia de privilégios. Não poderia se esperar outra coisa quando parcela significativa dessa justiça brasileira é composta pelos mais ricos, os filhos das camadas mais abastadas, salvo raras e boas exceções.

Como aceitar o julgamento do Lula? Difícil, porque de um lado a gente vê figuras impunes como Aécio Neves, mesmo com áudio e vídeo que confirmam o recebimento de propina, ou sujeitos como o Temer, também gravado negociando o silêncio do Eduardo Cunha e recebendo propina por meio do seu assessor, Rocha Loures, aquele filmado pela PF correndo com uma mala de dinheiro. Entre tantos outros que tramaram para estacar a sangria.

Do outro lado, o Lula sendo acusado de receber um apartamento que não é seu. Investigaram o Lula até pelas palestras realizadas pelo ex-presidente, sendo que Lula não fez nada ilegal e nem diferente das palestras dos ex-presidentes FHC (Brasil) e Bill Clinton (dos Estados Unidos), ou mesmo do procurador-chefe da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol.

É bom lembrar também que o golpe parlamentar que retirou a presidenta Dilma trouxe efeitos danosos para o povo brasileiro, todos nós já sabemos, até mesmo quem ingenuamente apoiou o golpe. Retirada dos direitos trabalhistas, congelamento dos investimentos na saúde, na educação e na assistência social, além do encerramento de várias políticas públicas. Agora estão cercando a aposentadoria. Tudo isso, com o discurso de que é bom para você e necessário para o país.

Sobre o julgamento de Lula, o que preocupa não é só a tentativa de sequestrar a dignidade e manchar a história de um presidente que retirou o Brasil do mapa da fome, gerou milhares de empregos, criou universidades e escolhas técnicas e uma série de políticas públicas que garantiram direitos, oportunidade e cidadania para milhões de pessoas. Isso é inaceitável, mas temos que ficar preocupados também com o que isso representa.

Como alertou Martin Luther King, “a injustiça num lugar qualquer é uma ameaça à justiça em todo o lugar”. Se estão fazendo isso com o maior presidente da história do país o que poderão fazer com os trabalhadores mais humildes? A injustiça é cruel porque o próximo a ser prejudicado pode ser qualquer cidadão brasileiro. A injustiça contra Lula é verdadeiramente uma navalha afiada que ameaça perigosamente a justiça em qualquer lugar do Brasil.

Muitos líderes mundiais já foram presos, justamente porque tinham ideias avançadas, defendiam a democracia, a paz e a igualdade de direitos. Foi assim com o próprio Lula, o Martin Luther King, a Dilma, o Nelson Mandela e o Salvador Allende, entre tantos outros que desafiaram o ódio e o autoritarismo. O dia 24 de janeiro de 2018 não será apenas o julgamento de Lula, poderá ser também a condenação do que ainda resta de justiça séria neste país.

* Deputada Estadual do PT/BA,líder da Bancada Feminina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *